sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

AL MARE


O mar?

Não é só o mar que percebo.
É o mundo que ele abraça e rega.

São as temperas lunares que o prateiam
O rondó dos pássaros, os linimentos
E as algas que nos trazem as ondas
Além delas próprias, vagas autócnes
E dessemelhantes.

Os mares?

São todos os ares que nos cercam
E não só por serem mares alheios
Mas também por serem mares-anseios
Em nossos olhares, mesmo
Os de curto alcance
Com pretensões de horizonte.

Um comentário:

Ricardo Sant'anna Reis disse...

(migrado do Recanto das Letras)
"O mar.
Não é só o mar que percebo
é o mundo que ele abraça e rega."

AL MARE

Só alguém que conhece profundamente o mar poderia escrever algo tão encantador e tão bem! Se os conselhos que Rilke deu nas suas "cartas a um jovem poeta" fossem para ti, certamente as compreendestes e as aplicastes nas tuas poesias. Exelência na tecitura dos pensamentos e percepções! Parabéns!

MARGIT Rio

Evoé!

Saiba que a sua visita e o seu comentario dão sentido a este espaço, que alem de divulgar poemas, quer conversar sobre a vida. Esteja em sua casa.

Ricardo Sant'Anna Reis 21.9170-9004

Ricardo Sant'Anna Reis  21.9170-9004
"rondava a rosa à poesia pelos jardins das flores tanto mais diversa a rosa quanto mais forem os amores". Sociólogo, poeta e editor, publiquei em antologias e recebi alguns premios literários. Tenho dois livros: "Diario da Imperfeita Natureza" e "Derradeiro Prelúdio" (no prelo). Pretendo aqui interagir com voce sobre poesia ou qualquer outro assunto relevante.

Seguidores