sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

DIABRURAS

Meto-me
sob o percal
de seda

com a perdida sede
de incubo

na maldita incumbência
da copula.

Minto-me.
Sina de impertinente.

Como um diabo lascivo
que se atira
sigo um devir desistente.

E mais...

Sem saber o motivo
para uma tal mentira.

Um comentário:

Ricardo Sant'anna Reis disse...

(migrado do Orkut)
Olá,
Fazes, mesmo, "Diabruras" com teus versos. Adorei teu poema. Fala fundo na alma da gente...
Um forte abraço! Oldney Lopes MG

Evoé!

Saiba que a sua visita e o seu comentario dão sentido a este espaço, que alem de divulgar poemas, quer conversar sobre a vida. Esteja em sua casa.

Ricardo Sant'Anna Reis 21.9170-9004

Ricardo Sant'Anna Reis  21.9170-9004
"rondava a rosa à poesia pelos jardins das flores tanto mais diversa a rosa quanto mais forem os amores". Sociólogo, poeta e editor, publiquei em antologias e recebi alguns premios literários. Tenho dois livros: "Diario da Imperfeita Natureza" e "Derradeiro Prelúdio" (no prelo). Pretendo aqui interagir com voce sobre poesia ou qualquer outro assunto relevante.

Seguidores